Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://dspace.mackenzie.br/handle/10899/13782
Tipo do documento: Tese
Título: Pedagogia para as desigualdades: um caminho para a escola cidadã
Autor: Valle, Carmen Lúcia Bueno
Primeiro orientador: Vasconcelos, Maria Lúcia Marcondes Carvalho
Primeiro membro da banca: Iannone, Leila Rentroia
Segundo membro da banca: Bridi, Marlise Vaz
Terceiro membro da banca: Casagrande, Nancy dos Santos
Quarto membro da banca: Brito, Regina Helena Pires de
Resumo: Esta tese pretende desenvolver pressupostos de uma pedagogia que contemple - além do desenvolvimento de uma competência comunicativa a todos os alunos, indistintamente - o desvelamento do outro por meio de uma troca de saberes sociais, linguísticos e contextuais entre alunos de escola pública e privada, a fim de desenvolver uma competência social suficiente à promoção de ações transformadoras da sociedade. Afora isso, entende-se que uma pedagogia para as desigualdades, conforme proposto nesta investigação, seja um caminho à escola cidadã, conforme os fins da educação previstos nos ditames legislativos. Busca-se constatar que a escola tem falhado nessa questão, a partir da análise comparativa e qualitativa de um corpus constituído por textos de alunos, do 1º ano de ensino médio, das duas esferas escolares; localizadas em espaços sociais extremamente opostos. A análise dessas produções textuais realiza-se em dois momentos. O primeiro é a apreciação da competência comunicativa desenvolvida nesses alunos, após oito anos de escolaridade, cotejando as diferenças de ensino e aprendizagem na educação linguística das duas instâncias educacionais. O segundo momento ocupa-se da observação da competência social de cada grupo de alunos; entendendo ser essa uma responsabilidade da escola que se pretende cidadã. Por meio da análise do referido corpus, conjetura-se que o exercício da cidadania só será efetivado se desenvolvidas essas duas competências pela escola. Por meio desse conjunto de aptidões, o indivíduo poderá garantir o seu direito de voz , comunicando ao outro , diferente do eu , sua leitura do mundo. Defende-se que o direito à voz implica um conhecimento linguístico adequado à comunicação em todas as situações. Por meio da competência social, crê-se que se instala - em especial, aos menos favorecidos - o direito a ter vez , evitando a reprodução das desigualdades. Esta pesquisa fundamentou-se em pressupostos teóricos de Paulo Freire, em potencial, e em outros teóricos da sociologia da educação e da educação linguística.
Abstract: This thesis intends to develop assumptions of a pedagogy that takes into account in addition to the development of a communicative skills in all pupils indiscriminately the unveiling of the other by means of a social, linguistic and contextual knowledge exchange among public and private schools pupils, with a view at developing a social ability enough to promote transformative actions in society. Apart from this, one understands that pedagogy for inequalities, as proposed in this investigation, is a path to the citizen school, in line with the education purposes provided in legislative dictates. One seeks to reveal that the school has been failing in this point, from the comparative and qualitative analysis of a corpus comprising texts by 1st year High School pupils of both school levels located in extremely opposite social environments. The analysis of these textual productions is carried out in two stages. The first is the appreciation of the communicative skills developed by these pupils subsequent to eight years of schooling, comparing the teaching and learning differences in the linguistic education in the two educational settings. The second stage deals with observation of social ability of each group of pupils, taking that this should be the responsibility of any school that purports to be a citizen school. By analyzing the referred corpus, one presumes that the exercise of citizenship will only take place if schools develop these two capabilities. Through this set of expertise, the individual will be able to assure his right to be heard, communicating to the other , different from the self , his reading of the world. One supports the idea that the right to be heard implies a linguistic knowledge that is appropriate to communication in every situation. By means of social savvy, which one believes is learned particularly by the less privileged the right to have a chance , avoiding the spread of inequalities. This research was based on theoretical premises by Paulo Freire, in potential, and other theories of education sociology and linguistic education.
Palavras-chave: pedagogia;  desigualdade;  cidadania;  competência comunicativa;  competência social;  educação linguística;  Pedagogy;  inequality;  citizenship;  communicative skills;  social ability;  linguistic education
Área(s) do CNPq: CNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LETRAS
Idioma: por
País: BR
Instituição: Universidade Presbiteriana Mackenzie
Sigla da instituição: UPM
Departamento: Letras
Programa: Letras
Citação: VALLE, Carmen Lúcia Bueno. Pedagogia para as desigualdades: um caminho para a escola cidadã. 2014. 202 f. Tese (Doutorado em Letras) - Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, 2014.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tede.mackenzie.br/jspui/handle/tede/2342
http://dspace.mackenzie.br/handle/10899/13782
Data de defesa: 11-Fev-2014
metadata.dc.bitstream.url: http://tede.mackenzie.br/jspui/bitstream/tede/2342/1/Carmen%20Lucia%20Bueno%20Valle.pdf
Aparece nas coleções:Letras - Teses - CCL Higienópolis

Arquivos associados a este item:
Não existem arquivos associados a este item.


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.