Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://dspace.mackenzie.br/handle/10899/13628
Tipo do documento: Dissertação
Título: A voz de estudantes bolivianos em uma escola pública da Cidade de São Paulo
Autor: Alves, Magda
Primeiro orientador: Masini, Elcie Aparecida Fortes Salzano
Primeiro membro da banca: Araujo, Paulo Roberto Monteiro de
Segundo membro da banca: Cormedi, Maria Aparecida
Resumo: A imigração de Bolivianos para o Brasil é um paradigma funcionalista que se dá através da pressuposição de que a sociedade tem um cenário concreto do estereótipo Boliviano escravizado pela indústria têxtil. O que poucos estudos se preocuparam em abordar, é que esse boliviano não se introduz no Brasil apenas como sujeito único, mas como indivíduo que traz consigo na grande maioria das vezes sua família, e, portanto, começa a interagir social e culturalmente com todo o sistema brasileiro. Dentro deste cenário, este estudo buscou no discurso de alunos bolivianos de escolas públicas da zona leste de São Paulo, compreender seus sentimentos, e manifestações de multiculturalismo por estarem dentro de uma terra tão distante da sua. Buscou-se ainda, observar o contexto que, de fato, esses estudantes estavam inseridos, observando o tratamento dispensado pelos colegas no contexto escolar, uma vez que a escola, segundo Gadotti (2000) e Freire (1997) é um meio de desmistificar qualquer preconceito existente na comunidade e inserir o indivíduo à socialização e à cultura, visto que a instituição escolar é o primeiro espaço de inclusão ou exclusão, onde a disseminação do preconceito é produzida, mas que ao mesmo tempo, pode ser abolida. Concluiu-se, a partir desta pesquisa, que apesar da maioria dos entrevistados seguirem os padrões de pais e mães trabalhadores da indústria têxtil, alguns se sentem brasileiros por terem vivido a maior parte de suas vidas no país, e não sentem grandes diferenciações no tratamento de seus colegas, procurando incluir-se no contexto e de certa forma renegando suas raízes, enquanto que outros, devido aos conflitos familiares e dificuldades enfrentadas tanto em seu país de origem como em seu país atual possuem grande dificuldade de adaptação e relacionamentos não se sentindo brasileiros, nem bolivianos, não obstante, professores que deveriam ter como papel o de educador inclusivo, acabam por não auxiliar estes alunos devido as suas próprias frustrações com a área em que se encontram. Observou-se, também que, com relação à cidade de São Paulo, todos os alunos entrevistados veem a cidade como um poço de oportunidades em comparação com seu país de origem salientando a parte de lazer e compras, atividades não tão possíveis na Bolívia.
Abstract: The Bolivian immigration to Brazil is a functionalist paradigm that takes place through the assumption that society has a concrete scenario of the Bolivian stereotype enslaved by the textile industry. What few studies bother worrying is that this Bolivian is not inserted in Brazil only as a single subject, but as an individual who brings along, in most cases, his or her family, and therefore begins to interact socially and culturally with all the Brazilian system. Within this scenario, this study aims to analyze the speech of Bolivian students from public schools in the east of São Paulo, understand their feelings and multiculturalism expressions for being in a land so distant from their own. It also aims to analyze the context in which these students are really inserted, observing the treatment dispensed by colleagues in the school context, like it is said by Gadotti (2000) and Freire (1997) the school is a way to demystify any existing prejudice in the community and insert the individual socially and culturally into the society, due to the fact that the school institution is the first place where the inclusion or exclusion can happen and prejudice takes place, but at the same time, it can be banished. With this study we concluded that, despite most of the interviewed students follow on their parents patterns as workers of the textile industry, some of them feel like Brazilians for having been lived most of their lives in the country, and don t feel big differences among their colleagues treatment, trying to insert themselves in the Brazilian context, in a certain way, denying their roots. While others, due to family conflicts and difficulties faced not only in their original country, but so as in their current country, have huge adaptation difficulties and problems to relate with the context, so they don t feel like Brazilian nor Bolivian. Despite these problems, teachers that were supposed to have a part as inclusive educators, end up not helping these students because of their own frustrations within the educational area. We have also observed that, when it comes to the city of São Paulo, all the interviewed students see the city as a well of opportunities in comparison with their country of origin, pointing out the leisure and the shopping activities the city offers, not so possible in Bolivia.
Palavras-chave: imigração boliviana;  estudantes bolivianos;  multiculturalismo;  Bolivian immigration;  Bolivian students;  multiculturalism
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::EDUCACAO
Idioma: por
País: BR
Instituição: Universidade Presbiteriana Mackenzie
Sigla da instituição: UPM
Departamento: Educação, Arte e História
Programa: Educação, Arte e História da Cultura
Citação: ALVES, Magda. A voz de estudantes bolivianos em uma escola pública da Cidade de São Paulo. 2015. 118 f. Dissertação (Mestrado em Educação, Arte e História) - Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, 2015.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tede.mackenzie.br/jspui/handle/tede/1938
http://dspace.mackenzie.br/handle/10899/13628
Data de defesa: 7-Ago-2015
metadata.dc.bitstream.url: http://tede.mackenzie.br/jspui/bitstream/tede/1938/1/Magda%20Alves.pdf
Aparece nas coleções:Educação, Arte e História da Cultura - Dissertação - CEFT Higienópolis

Arquivos associados a este item:
Não existem arquivos associados a este item.


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.