Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://dspace.mackenzie.br/handle/10899/13555
Tipo do documento: Dissertação
Título: Francis não usou LSD: a crítica de Schaeffer à contracultura
Autor: Fanti, Luís Henrique
Primeiro orientador: Feijó, Martin Cezar
Primeiro membro da banca: Rizolli, Marcos
Segundo membro da banca: Amed, Fernando José
Resumo: O presente trabalho presta-se a traçar, a estabelecer uma relação entre o pensamento de Francis Schaeffer ao movimento da contracultura; o movimento contracultural da década 60 principalmente relativo aos anos de 67-69 com os beatniks, o Flower Power, Timothy Leary e seus desdobramentos mais marcantes; e, por fim, as expressões contraculturalistas no uso das drogas, no álbum dos The Beatles, Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band e no Teatro do Absurdo. Tendo a Arte como a expressão do espírito das épocas do desenvolvimento do pensamento humano que tratamos aqui, manifestadas no cotidiano de cada época. Procuramos fechar nosso estudo demonstrando alguns aspectos que tornam possível a convergência de todos esses elementos na produção da cultura do homem do século XXI, traçando, ao longo do caminho, as consequências desta forma de pensar e atuar no mundo.
Abstract: The current paper has the goal to trace the relationship between Francis Schaeffer's thinking in relation to the counter-culture; the counter-culture movement from the 60's, especially related to the years of 67-69 with the 'beatniks', Flower Power, Timothy Leary and its more remarkable unfoldings; and, finally, the counter-cultural expressions in drug usage in The Beatles record, Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band, and in the Teatro do Absurdo (The Absurd Theater). We have the art as the expression of the spirit of that time in the development of the human thinking, which we treat here manifested in the daily life of each time. So we intend to close this paperwork showing some aspects that make possible the convergence of all these elements in the XXI century, tracing along the way the consequences of this way of thinking and dealing with the world.
Palavras-chave: Schaeffer;  contracultura;  anos 60;  Sgt. Peppers;  teatro do absurdo;  Schaeffer;  counterculture;  60s;  Sgt. Peppers;  absurd drama
Área(s) do CNPq: CNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::ARTES
Idioma: por
País: BR
Instituição: Universidade Presbiteriana Mackenzie
Sigla da instituição: UPM
Departamento: Educação, Arte e História
Programa: Educação, Arte e História da Cultura
Citação: FANTI, Luís Henrique. Francis não usou LSD: a crítica de Schaeffer à contracultura. 2012. 81 f. Dissertação (Mestrado em Educação, Arte e História) - Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, 2012.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tede.mackenzie.br/jspui/handle/tede/1858
http://dspace.mackenzie.br/handle/10899/13555
Data de defesa: 11-Dez-2012
metadata.dc.bitstream.url: http://tede.mackenzie.br/jspui/bitstream/tede/1858/1/Luis%20Henrique%20Fanti.pdf
Aparece nas coleções:Educação, Arte e História da Cultura - Dissertação - CEFT Higienópolis

Arquivos associados a este item:
Não existem arquivos associados a este item.


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.