Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://dspace.mackenzie.br/handle/10899/13252
Tipo do documento: Dissertação
Título: Desenvolvimento e aplicação de programa de orientações para manejo comportamental de crianças e adolescentes com síndrome de Williams em sala de aula
Título(s) alternativo(s): Development and application of an orientation program to handle Williams Syndrome children and adolescents in the classroom
Autor: Lima, Solange de Freitas Branco
Primeiro orientador: Teixeira, Maria Cristina Triguero Veloz
Primeiro membro da banca: Carreiro, Luiz Renato Rodrigues
Segundo membro da banca: Marinotti, Miriam
Resumo: A Síndrome de Williams (SW) é uma doença genética cujo quadro clínico pressupõe a deficiência intelectual em graus variados assim como outros déficits de linguagem, comunicação e problemas de comportamento. Isto determina que alunos com SW tenham uma condição especial de alfabetização no ensino regular. Uma das especificidades deste manejo se associa com a comorbidade neuropsiquiátrica de maior incidência na síndrome: o Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH). Neste contexto se localiza o presente estudo cujo objetivo geral foi desenvolver e avaliar a eficácia de um guia de orientação para professores sobre estratégias de manejo dos comportamentos de desatenção e hiperatividade em crianças e adolescentes com Síndrome de Williams. A amostra foi composta por 10 participantes. Cinco são crianças com diagnóstico clínico e citogenético-molecular de Síndrome de Williams com indicadores de desatenção e hiperatividade, conforme avaliação padronizada com uso do Inventário dos Comportamentos de Crianças e Adolescentes de 6 a 18 anos (CBCL/6 18). Os cinco participantes restantes foram seus professores respectivos. Os instrumentos de coleta de dados foram: a) Inventário de comportamentos para crianças e adolescentes entre 06 e 18 anos. Formulário para professores (TRF 6/18), b) Escala de Transtorno de Déficit de Atenção e/ou Hiperatividade de Benczik: Versão de Professores; c) Questionário para verificação no professor de conhecimentos gerais sobre a Síndrome de Williams; d) Guia de orientações a professores para manejo comportamental de crianças e adolescentes com Síndrome de Williams em sala de aula. O estudo foi desenvolvido em três fases: Fase I: avaliação inicial mediante uso dos instrumentos acima; Fase II: implementação do guia de orientações a professores para manejo comportamental das crianças e adolescentes em sala de aula com duração de quatro meses e acompanhamento quinzenal junto ao professor da aplicação do guia e, Fase III: avaliação final de padrões comportamentais de desatenção e hiperatividade/impulsividade. Os principais resultados mostraram caso-a-caso que todas as crianças, com exceção da criança número 4, diminuíram os problemas de comportamento conforme a escala Benczik. Já estes mesmos resultados não se verificaram com a mesma estabilidade em todas as crianças mediante aplicação do TRF/6-18. As estratégias do guia parecem ter sido seguidas adequadamente pelos professores de três das cinco crianças, sendo justificado que a impossibilidade de cumprimento de outras estratégias deu-se pela rigidez da rotina escolar e cronograma de aulas, a falta de tempo, falta de material pedagógico adequado às necessidades específicas de escolarização da criança e falta de apoio familiar, dentre outros. Conclui-se que o guia de orientações desenvolvido pode ser uma tentativa de manejo de contingências de baixo custo que, pelos resultados obtidos, pode ser utilizada pelos professores de acordo com as orientações estabelecidas o que mostra sua viabilidade de uso no contexto de sala de aula da amostra envolvida.
Abstract: Williams Syndrome (WS) is a genetic disorder with a clinical frame that presupposes intellectual disability in various degrees as well as other language and communication deficits and behavior problems. This determines that students with WS have a special alphabetization condition in regular schools. One of the specificities to handle it is the neuropsychiatric comorbidity of greatest incidence: Attention Deficit Hyperactivity Disorder (ADHD). The present study is introduced in this context and has as its general objective to develop and assess the efficiency of an orientation guide to teachers on the strategies of handling inattention and hyperactivity behaviors in children and adolescents with Williams Syndrome. The sample was composed of 10 participants. Five are children with clinical and cytogenetic-molecular diagnosis of Williams Syndrome with indicators of inattention and hyperactivity, according to standard assessment through Child Behavior Checklist (CBCL/6-18). The five remaining participants were the respective teachers. The instruments used to data collection were: a) Teacher‟s Report Form for Ages 6-18 (TRF 6/18); b) Attention Deficit Hyperactivity Disorder Scale of Benczik: teacher‟s version; c) Questionnaire to assess teachers‟ general knowledge on Williams Syndrome; d) Orientation guide to teachers for behavioral handling of children and adolescents with Williams Syndrome in the classroom. The study was developed in three phases: Phase I: initial assessment with the use of the aforementioned instruments; Phase II: implementation of the orientation guide to teachers for behavioral handling of children and adolescents in the classroom, with duration of four months and fortnight follow-up with the teacher of the application of the guide and, Phase III: final assessment of behavioral patterns of inattention and hyperactivity / impulsiveness. The main results demonstrate that all children, except for child number 4, had less behavior problems, according to Benczik Scale. These results are not observed with the same stability in all children when TRF/6-18 is used. The strategies of the guide seem to have been followed properly by three out of five teachers. Some of the reasons to the impossibility to apply other strategies were: the rigidity of the school‟s routine and the classes‟ schedule, lack of time, lack of pedagogical material suitable to the specific needs of the child‟s schooling, lack of parental support, among others. We conclude that the orientation guide developed can be a low-cost alternative to handle the contingencies and, considering the results achieved, it can be used by teachers according to the orientations established, what shows its use feasibility in the classroom context of the sample in case.
Palavras-chave: Síndrome de Williams;  problemas de comportamento;  manejo de contingências;  controle de estímulos;  Williams Syndrome;  behavior problems;  stimuli control;  handling contingencies
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::EDUCACAO::TOPICOS ESPECIFICOS DE EDUCACAO::EDUCACAO ESPECIAL
Idioma: por
País: BR
Instituição: Universidade Presbiteriana Mackenzie
Sigla da instituição: UPM
Departamento: Psicologia
Programa: Distúrbios do Desenvolvimento
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tede.mackenzie.br/jspui/handle/tede/1561
http://dspace.mackenzie.br/handle/10899/13252
Data de defesa: 19-Ago-2011
metadata.dc.bitstream.url: http://tede.mackenzie.br/jspui/bitstream/tede/1561/1/Solange%20de%20Freitas%20Branco%20Lima.pdf
Aparece nas coleções:Distúrbios do Desenvolvimento - Dissertações - CCBS Higienópolis

Arquivos associados a este item:
Não existem arquivos associados a este item.


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.