Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://dspace.mackenzie.br/handle/10899/12526
Tipo do documento: Dissertação
Título: Critérios utilizados pelos escritórios contábeis na adoção inicial do pronunciamento CPC PME
Autor: Santos, George Magno
Primeiro orientador: Formigoni, Henrique
Primeiro membro da banca: Antunes, Maria Thereza Pompa
Segundo membro da banca: Belli, Juarez Torino
Resumo: Como novo elemento para alinhamento internacional das práticas contábeis, o Conselho Federal de Contabilidade, através da Resolução CFC 1.255/2009, aprovou a NBC T 19.41 que trata especificamente sobre as regras aplicáveis na contabilidade de pequenas e médias empresas, para aplicação nas demonstrações contábeis para fins gerais desta categoria de empresas. No contexto apresentado, este trabalho objetivou investigar quais são os principais fatores que influenciaram os Escritórios Contábeis na preparação, elaboração e divulgação das demonstrações financeiras de seus clientes, em vista da obrigatoriedade de aplicação do CPC PME à partir do exercício findo em 31 de dezembro de 2010. Complementarmente evidenciar os principais fatores internos e externos que influenciaram na adoção do Pronunciamento PME, e verificar o comportamento da sociedade contábil e empresária perante a nova exigência nas Demonstrações Contábeis no formato CPC PME e seu nível de conhecimento sobre o referido pronunciamento PME. A pesquisa realizada foi de natureza exploratória, com o uso do método qualitativo, utilizando como procedimento para a coleta de dados, entrevistas em profundidade com quatro sócios de escritórios de contabilidade. Os dados coletados foram tratados por meio da análise de conteúdo com a utilização do software NVIVO. Como principais resultados a análise dos dados apontou que a maioria dos escritórios questionados não está motivada a adotar o pronunciamento, fazendo-o apenas por força de situações especiais. A visão prioritária é a manutenção das práticas e regras fiscais que continuam influenciando os resultados contábeis, uma vez que o usuário interno é quem mais utiliza a informação contábil, e não o externo. Conclui-se que a ausência de penalidades severas tanto para as empresas, quanto para os escritórios e a falta de interesse dos clientes na maioria de PME, bem como a tradição dos escritórios em atender aos aspectos fiscais, justamente por conta das pesadas multas, potencializam a adoção intempestiva. O desconhecimento por parte dos contadores das diferenças entre o CPC PME e o CPC Full ou modelo completo, onde este último possibilita um resultado econômico maior para a empresa, melhorando os seus indicadores de performance econômico-financeira, é um indicativo forte da necessidade de um conhecimento profundo e estudo de ambos os pronunciamentos, para decidir sobre qual pronunciamento adotar. Outro fator preponderante é o da Receita Federal do Brasil não aceitar o novo padrão contábil como base inicial de cálculo dos tributos federais, onde as empresas que adotaram o padrão CPC PME têm que efetuar diversos ajustes como forma de anular todo e qualquer impacto que possa haver com a adoção do novo padrão contábil na base de cálculo dos tributos devidos.
Abstract: As a new element to align international accounting practices, the Federal Accounting Council, through Resolution 1.255/2009 CFC approved the NBC T 19:41 which deals specifically with the rules of accounting in small and medium enterprises, for use in the financial statements for general purpose of this category of companies. In the context presented, this study aimed to investigate what are the main factors that influenced the Accounting Offices in the preparation, preparation and dissemination of financial statements of their clients, in view of the mandatory application of the CPC SMEs from the year ended December 31, 2010. Additionally highlight the major internal and external factors that influenced the adoption of Statement SMEs, and verify the behavior of society and accounting manager before the new requirement in the Financial Statements in the format CPC SMEs and their level of knowledge about such pronouncement SMEs. The research was exploratory in nature, using the qualitative method, using as a procedure for data collection, in-depth interviews with four partners of accounting firms. The data collected were processed through content analysis using NVivo software. The main results of the data analysis showed that most respondents offices is not motivated to adopt the pronouncement, making him only under special circumstances. The vision priority is the maintenance of tax rules and practices that continue to influence the accounting results, since the internal user is who else uses the accounting information, and not the external. We conclude that the absence of severe penalties for both companies, and for the offices and the lack of customer interest in the majority of SMEs, as well as offices in the tradition of meeting the fiscal aspects, precisely because of the hefty fines, potentiate untimely adoption. Ignorance on the part of the accountants of the differences between the CPC and CPC Full SMEs or full model, where the latter allows a greater economic result for the company, improving its performance indicators economics and finance, is a strong indication of the need for knowledge deep study of both pronouncements, to decide on which pronouncement adopt. Another factor is the Internal Revenue Service of Brazil did not accept the new accounting standard as the baseline for calculating federal taxes, where companies that adopted the standard CPC SMEs have to make several adjustments in order to nullify any impact that may be with the adoption of the new accounting standard on the base for calculating the taxes due.
Palavras-chave: adoção do pronunciamento CPC PME;  escritórios contábeis;  dificuldades para adoção do pronunciamento PME;  adoption of CPC SMEs;  accounting offices;  difficulties adoption of statement
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ADMINISTRACAO::CIENCIAS CONTABEIS
Idioma: por
País: BR
Instituição: Universidade Presbiteriana Mackenzie
Sigla da instituição: UPM
Departamento: Ciências Contábeis
Programa: Controladoria Empresarial
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tede.mackenzie.br/jspui/handle/tede/910
http://dspace.mackenzie.br/handle/10899/12526
Data de defesa: 28-Jan-2013
metadata.dc.bitstream.url: http://tede.mackenzie.br/jspui/bitstream/tede/910/1/George%20Magno%20Santos.pdf
Aparece nas coleções:Profissional em Controladoria Empresarial - Dissertações - CCSA Higienópolis

Arquivos associados a este item:
Não existem arquivos associados a este item.


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.