Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://dspace.mackenzie.br/handle/10899/12255
Tipo do documento: Dissertação
Título: A influência do ambiente operacional na relação entre diversificação e desempenho: um estudo aplicado ao mercado de manufatura norte-americano
Autor: Martins, Mariângela Figueira de Mello
Primeiro orientador: Bataglia, Walter
Primeiro membro da banca: Marcondes, Reynaldo Cavalheiro
Segundo membro da banca: Brito, Luiz Artur Ledur
Resumo: O ambiente operacional, definido como o ambiente mais imediato e relevante para a empresa, tem sido tema de ampla pesquisa na teoria de administração, em especial na área de estratégia, devido à sua importância determinante na escolha estratégica e no desempenho das empresas. Resultados de estudos anteriores indicam que a opção estratégica pela diversificação dependente das condições ambientais. Em paralelo, o aumento da diversidade e da interação entre os mercados incentiva as firmas à diversificação a fim de obter vantagem por meio de produtos diferentes e de maior valor para públicos diversos. Tal contexto indica que existe relação entre o ambiente e a estratégia de diversificação, além de sua relação com o desempenho das organizações. No entanto, a literatura acerca da relação entre diversificação e determinantes do desempenho financeiro ainda é inconclusiva. O presente trabalho se propôs a agregar conhecimento ao tema, por meio da análise da relação entre os construtos diversificação, desempenho financeiro e ambiente operacional, inserindo-se na discussão internacional sobre o ambiente e sua influência sobre as organizações. Assim, foram examinadas as hipóteses de que as dimensões ambientais munificência, complexidade e dinamismo exercem influência moderadora sobre a relação entre diversificação e as dimensões crescimento e lucratividade do desempenho das firmas. Foram utilizados modelos de análise fatorial e de regressão múltipla aplicados sobre a indústria de manufatura norte-americana. Utilizando-se de bases de dados do U.S. Bureau of Census, referentes ao período de 2002 a 2007, a análise fatorial foi realizada no nível do setor de atividade empresarial para cálculo dos escores fatoriais correspondentes às dimensões ambientais, conforme o modelo de mensuração originalmente proposto por Dess e Beard (1984). Foi considerado um conjunto de 169 setores válidos e com dados disponíveis do total de 272 setores com código NAICS de 5 dígitos. Os escores fatoriais foram aplicados em um modelo de regressão múltipla que relacionou as características das dimensões ambientais dos 169 setores manufatureiros com o grau de diversificação e o desempenho financeiro de 994 empresas pertencentes aos mesmos. Os dados das empresas foram obtidos na base de dados Compustat. Os resultados confirmaram a existência de relação linear entre o crescimento, a diversificação e as variáveis ambientais complexidade e munificência. Contudo, apesar do modelo de regressão ser estatisticamente significante, a explicação proporcionada pelas variáveis é muito pequena, deixando clara a oportunidade para que novos estudos busquem ampliar a compreensão do efeito da diversificação nas firmas. Por sua vez, a hipótese de influência de moderação do ambiente operacional na relação entre desempenho e diversificação não foi confirmada. O trabalho contribui para a gestão estratégica, ao apontar a importância de que os gestores avaliem as condições ambientais no processo de escolha estratégica, diante de sua influência sobre o desempenho. O trabalho também teve sua contribuição metodológica ao confirmar as dimensões ambientais propostas por Dess e Beard (1984) para o construto ambiente operacional.
Abstract: The task environment, defined as the most immediate and relevant environment for companies, has been an issue of extended research on the management theory, especially by strategy disciplines, owing to its determining influence on the companies´ strategic option and performance. Previous research have concluded that the option for diversification depends on environmental conditions. Simultaneously, the increasing diversity and interaction among different markets stimulates firms towards diversification owing to get advantage from different and more valuable products for diverse niches. That context suggests the existence of a relationship between environment and diversification strategy, and companies‟ financial performance as well. Though, the vast literature on the impacts of diversification and the performance determining factors remains inconclusive. The project owed to add new knowledge to the issue by assessing the relationship between the constructs diversification, financial performance and task environment, taking part of the international discussion on the environment and its influence over organizations. It analyzed the hypothesis that the environmental dimensions munificence, complexity and dynamism have a moderating influence on the relationship between diversification and the performance dimensions growth and profitability. Factorial analysis and multiple regressions statistics were applied on the North-American manufacturing industry. Using data from U.S. Bureau of Census regarding the 2002-2007 period, the factorial model was elaborated at the sector activity level to generate the factors related to the task environmental sub-dimensions, according to the measuring model elaborated by Dess and Beard (1984). It related to the amount of 169 valid sectors with available data from the total 272 sectors with 5 digit NAICS code. Those factors were entered in a multiple regression model that matched the environmental dimensions of those 169 manufacturing sectors to the diversification level and financial performance of 994 companies belonging to them. The companies‟ data were acquired from Compustat data base. The results confirmed the existence of a linear relationship between growth, diversification and the environmental dimensions complexity and munificence. Even though, despite the regression model statistical significance, those variables can explain very little, that highlights the opportunity for new research in finding additional knowledge to comprehend the diversification effects over firms. The hypothesis of the moderating influence by the operational environment on the performance-diversification relationship was not confirmed. The project has contributed to the strategic management by highlighting to the managers the importance of assessing the environmental conditions as part of the strategy making process, regarding its influence over performance. It also made a methodological contribution by confirming the operational environment dimensions proposed by Dess and Beard (1985) for the construct.
Palavras-chave: ambiente operacional;  desempenho;  diversificação;  manufatura;  moderação;  operational environment;  performance;  diversification;  manufacturing;  moderation
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ADMINISTRACAO::ADMINISTRACAO DE EMPRESAS
Idioma: por
País: BR
Instituição: Universidade Presbiteriana Mackenzie
Sigla da instituição: UPM
Departamento: Administração
Programa: Administração de Empresas
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tede.mackenzie.br/jspui/handle/tede/540
http://dspace.mackenzie.br/handle/10899/12255
Data de defesa: 3-Mar-2011
metadata.dc.bitstream.url: http://tede.mackenzie.br/jspui/bitstream/tede/540/1/Mariangela%20Figueira%20Mello%20Martins.pdf
Aparece nas coleções:Administração de Empresas - Dissertações - CCSA Higienópolis

Arquivos associados a este item:
Não existem arquivos associados a este item.


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.