Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://dspace.mackenzie.br/handle/10899/12131
Tipo do documento: Tese
Título: O processo de aprendizagem coletiva e o uso da tecnologia em agências de viagens: contribuições dos estudos baseados em prática e da etnometodologia
Autor: Bispo, Marcelo de Souza
Primeiro orientador: Godoy, Arilda Schmidt
Primeiro membro da banca: Brunstein, Janette
Segundo membro da banca: Bataglia, Walter
Terceiro membro da banca: Costa, Benny Kramer
Quarto membro da banca: Kirschbaum, Charles
Resumo: As demandas sobre as organizações por inovação e mudança para sobrevivência no ambiente hiper-competitivo sugere novas formas de pensar o que é aprender e conhecer que parecem ir além do que está disponível em livros, manuais didáticos, salas de aula e treinamentos nas empresas. É preciso tentar entender como as pessoas aprendem umas com as outras no cotidiano, a partir das interações sociais que transcendem os processos formais utilizados pelas organizações. Este esforço exige pensar as organizações enquanto campos simbólicos nos quais as pessoas convivem em constante interação, mediadas pela linguagem construindo significado e sentido para suas atividades cotidianas (HATCH; YANOW, 2003).Segundo esta ótica é possível entender a organização como um espaço de aprendizagem e geração de conhecimento, permeado de negociação e troca contínua entre seus membros e os artefatos, especialmente os tecnológicos, que compartilham de um mesmo ambiente (BRUNI,2005; BRUNI; GHERARDI; PAROLIN, 2007; SUCHMAN et al., 1999). Valtonen (2009)destaca que as micro e pequenas empresas de turismo possuem uma gama de possibilidades para serem pesquisadas e, para a autora, estas organizações possuem qualidades epistemológicas que possibilitam pesquisas relevantes, ao contrário do que ocorre predominantemente nas pesquisas na área de Administração em que estas organizações são vistas como vácuo de conhecimento ou incapazes na adoção de sistemas eficientes de gestão do conhecimento. Neste sentido Valtonen (2009) aponta que as pequenas empresas do segmento turístico contribuem para uma forma distinta da geração do conhecimento,particularmente, quando o foco está em um conhecimento prático. A presente pesquisa adotou como pergunta norteadora: como ocorre o processo de aprendizagem coletiva do uso de tecnologias de informação e comunicação, em especial a Internet, enquanto prática de trabalho em uma agência de viagens? O objetivo principal da pesquisa foi compreender o processo de aprendizagem coletiva do uso da tecnologia como prática em agências de viagens. É nessa perspectiva que os Estudos Baseados em Prática (EBP) apresentam-se como opção para debater, discutir e compreender os processos de aprendizagem coletivos e não formais nas organizações (NICOLINI; GHERARDI; YANOW, 2003; GHERARDI, 2001,2006). Para Gherardi (2006) tal entendimento possibilita trabalhar com os fenômenos de maneira situada, considerando que a temporalidade e a historicidade têm valor significativo para uma melhor compreensão dos mundos sociais. Ainda segundo a autora, esta forma de pensar as organizações valoriza o que ela coloca como knowing-in-practice, ou seja, significa que o conhecimento é situado como um processo social, humano, material, estético, emotivo e ético. A etnometodologia foi utilizada como estratégia de investigação empírica para a condução deste estudo que foi realizado em três agências de viagens de uma mesma empresa durante o período de sete meses. Os principais achados foram no sentido de como o uso da tecnologia como prática influencia os processos de organizing, vendas e gestão da empresa pesquisada e a principal conclusão é que a aprendizagem coletiva não é a extrapolação da aprendizagem no nível individual.
Abstract: The demands on organizations for innovation and change in order to survive in a hyper-competitive environment suggest new ways of thinking "what is" to learn and to know, that seems to go beyond what is available in books, textbooks, classrooms and companies training rooms. We must try to understand how people learn from each other in everyday life,from the social interactions that transcend the formal processes used by organizations. This effort requires looking at organizations as symbolic fields in which people live in constant interaction mediated by language building meaning to their everyday activities (HATCH;YANOW, 2003). According to this perspective it is possible to understand the organization as a place of learning and knowledge generation, permeated by negotiation and continued exchange among its members and artifacts, especially the technological ones, which share the same environment (BRUNI, 2005; BRUNI; GHERARDI; PAROLIN, 2007, SUCHMAN et al., 1999). Valtonen (2009) points out that micro and small tourism enterprises have a range of possibilities to be investigated and epistemological qualities that enable relevant research, unlike what occurs predominantly in the research on the Administration field, where such organizations are seen as displaying a "knowledge vacuum" or being unable to adopt efficient systems of knowledge management. In this sense Valtonen (2009) points out that small companies in the tourism sector contribute to a distinct way of knowledge generation,particularly when the focus is on a more practical knowledge. This research adopted as a guiding question how the process of collective learning of using information and communication technologies, particularly the Internet, while labor practice in a travel agency occurs. The main objective of the research was to understand the process of collective learning of technology use as a practice in travel agencies. In this perspective, Practice-based Studies (PBS) is seen as an option to debate, discuss and understand the collective and nonformal learning processes in organizations (NICOLINI; GHERARDI; YANOW, 2003;GHERARDI, 2001, 2006). To Gherardi (2006) such an understanding allows working with the phenomena in a situated form, whereas the temporality and historicity have significant value to a better understanding of social worlds. Also according to the author, this way of thinking about organizations value what she regards as knowing-in-practice , i.e., that knowledge is situated as a social, human, material, aesthetic, emotional and ethical process.Ethnomethodology was used as an empirical research strategy for conducting this study which was carried out in three travel agencies belonging to the same company during a period of seven months. The main findings concern to how the use of technology as a practice influences the organizing, sales and management processes inside the researched company and the main conclusion is that collective learning is not the extrapolation of learning at the individual level
Palavras-chave: aprendizagem coletiva;  estudos baseados em prática;  etnometodologia;  organizações;  agências de viagens;  collective learning;  practice-based research, ethnomethodology;  organizations;  travel agencies
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ADMINISTRACAO
Idioma: por
País: BR
Instituição: Universidade Presbiteriana Mackenzie
Sigla da instituição: UPM
Departamento: Administração
Programa: Administração de Empresas
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tede.mackenzie.br/jspui/handle/tede/781
http://dspace.mackenzie.br/handle/10899/12131
Data de defesa: 16-Jun-2011
metadata.dc.bitstream.url: http://tede.mackenzie.br/jspui/bitstream/tede/781/1/Marcelo%20de%20Souza%20Bispo.pdf
Aparece nas coleções:Administração de Empresas - Teses - CCSA Higienópolis

Arquivos associados a este item:
Não existem arquivos associados a este item.


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.