Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://dspace.mackenzie.br/handle/10899/12119
Tipo do documento: Tese
Título: A semiótica do compartilhamento do conhecimento tácito em uma organização cooperativa: uma perspectiva integradora
Autor: Miguel, Lilian Aparecida Pasquini
Primeiro orientador: Popadiuk, Silvio
Primeiro membro da banca: Meirelles, Dimária Silva e
Segundo membro da banca: Godoy, Arilda Schmidt
Terceiro membro da banca: Saiani, Cláudio
Resumo: Este estudo de caso, orientado pela vertente de Merriam (1998) foi realizado com o intuito de compreender como os signos se manifestam como mediadores no compartilhamento do conhecimento tácito entre os membros de uma organização cooperativa, a partir da articulação teórica entre: (a) os princípios postulados por Polanyi (1962; 1966) sobre o conhecimento tácito, cuja visão defende a inefabilidade desse tipo de conhecimento, (b) a teoria semiótica de Peirce ([1931-1958], 2000), para quem os signos são uma representação de "algo para alguém" (p.46), implicando que tudo no mundo é signo, e (c) o tratado sobre a Sociologia do Conhecimento, de Berger e Luckmann (1996), propondo uma realidade produzida em nossa vida cotidiana, em nossa interação social, o que se articula com (d) a visão integracionista do interacionismo simbólico de Charon (2009). Como empresa-caso foi estudada uma organização privada cooperativa, cujos dados primários foram coletados por meio de entrevistas, observações participativas, produção de imagens paradas e imagens em movimento, e dados secundários, documentos fornecidos pela organização pesquisada, ou seja o organograma funcional, dados demográficos de seus membros, informações contidas em seu site, e em prospectos institucionais. A diversidade de dados demandou uma articulação de métodos e técnicas de análise, inspirados nos protocolos metodológicos da Grounded Theory, proposta por Charmaz (2006), na Análise Semiótica, proposta por Santaella (2002), nas propostas de Análises de Imagens Paradas, de Penn (2008) e de Imagens em Movimento, de Rose (2008), e Análise de Áudio, de Bauer (2008), para os dados qualitativos, e a aplicação da técnica estatística de Análise Descritiva Simples, com base em Barbetta (2002) para os dados quantitativos. O esforço de organização e análise dos dados envolveu a utilizado o software NVivo8. Aportes teóricos adicionais foram incorporados durante o processo de análise e interpretação de dados, visando à contextualização do conteúdo sígnico identificado na organização pesquisada, analisada pelo olhar semiótico como uma instituição, que apresentou uma predominância sígnica representativa do conhecimento tácito existente, pertinente aos contextos históricos sociais, em que seus membros viveram durante a maior parte de suas vidas, cujos conteúdos são apresentados de forma resumida, visando localizar o leitor na análise. Este estudo apresenta três contribuições significativas. A primeira diz respeito à sua articulação teórica, que propõe um processo de percepção semiótico do compartilhamento do conhecimento tácito. Tal proposta pode ser corroborada por meio das análises do estudo de campo, dando origem, como segunda contribuição, a um modelo teórico, que permite avaliar a evolução organizacional baseada no compartilhamento do conhecimento tácito, e questionar modelos que não considerem questões histórico-sociais relacionadas. A terceira contribuição foi possibilitada pela articulação metodológica utilizada, e relaciona-se com o posicionamento assumido neste estudo sobre as características e signos em que o conhecimento tácito pode ser compartilhado, incluindo os signos verbais. Com isto, a perspectiva deste trabalho propõe que o compartilhamento do conhecimento tácito ocorre de forma simbólica, interacionista e institucional, fazendo com que seu teor inovativo dependa de condições internas e externas à empresa, envolvendo, porém, questões fora do controle organizacional.
Abstract: This case study, oriented by Merriam (1998) view, was elaborated aiming to understand how signs are manifested as mediators in the tacit knowledge sharing process, among members of a cooperative organization, based on the theoretical articulation of: (a) the principles postulated by Polanyi (1962; 1966) about the tacit knowledge, whose view defends the ineffability of this kind of knowledge, (b) Peirce´s ([1931-1958] 2000) semiotic theory, for whom signs are a representation of something for someone (p.46), implying that everything in the world is a sign, and (c) the entente about the Sociology of Knowledge, of Berger and Luckmann (1996), proposing a reality created upon our daily life, through our social interaction, which evokes (d) the integrating symbolic interactionist view offered by Charon (2009). The case was a cooperative private organization, which primary data were collected by interviews, participative observations, production of still and in movement images, and secondary data, documents provided by the organization, i.e., organization chart, members´ demographic data, information existing in the organization site and promotional brochure. The data diversity demanded a methodological articulation of analysis, inspired on Grounded Theory, proposed by Charmaz (2006), Semiotic Analysis, proposed by Santaella (2002), Still Images Analysis, proposed by Penn (2008), In Movement Analysis, proposed by Rose (2008), and Audio Analysis, proposed by Bauer (2008), regarding to the qualitative data, and the statistical technique of Simple Descriptive Analysis, based on Barbetta (2002), regarding to the quantitative data. The whole effort for organizing and analyzing the data involved the utilization of the software NVivo8. Additional theoretical approaches were incorporated during the process of analysis and interpretation, in order to give a context to the signing content identified in the organization-case, analyzed through a semiotic point of view as an institution, showing a predominance signing representation of the existing tacit knowledge, pertaining to the social historical contexts, in which its members lived during the major part of their lives, which contents are summarized to locate the reader in the analysis. There are three significative contributions in the present study. The first refers to the theoretical articulation, which proposes a process of semiotic perception to the tacit knowledge sharing. Such approach could be corroborated in the field research, which allowed, as the second contribution, the proposal of a theoretical model, which allows to evaluate the organizational evolution based on the tacit knowledge sharing, as well as questioning models that do not consider related historical-social aspects. The third contribution is based on the methodological articulation applied, and refers to this study assumption about the characteristics and signs under which the tacit knowledge can be shared, including the verbal signs. Based on this, the present work perspective proposes that the tacit knowledge sharing occurs through a symbolic, interactionist and institutional way, which makes that the innovative mode depends both on internal and external conditions, involving, however, aspects out of the organizational control.
Palavras-chave: conhecimento tácito;  signo;  semiótica Peirceana;  tacit knowledge;  sign;  Peircean semiotic
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ADMINISTRACAO::ADMINISTRACAO DE EMPRESAS
Idioma: por
País: BR
Instituição: Universidade Presbiteriana Mackenzie
Sigla da instituição: UPM
Departamento: Administração
Programa: Administração de Empresas
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tede.mackenzie.br/jspui/handle/tede/769
http://dspace.mackenzie.br/handle/10899/12119
Data de defesa: 22-Nov-2010
metadata.dc.bitstream.url: http://tede.mackenzie.br/jspui/bitstream/tede/769/1/Lilian%20Aparecida%20Pasquini%20Miguel.pdf
Aparece nas coleções:Administração de Empresas - Teses - CCSA Higienópolis

Arquivos associados a este item:
Não existem arquivos associados a este item.


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.